sábado, 13 de novembro de 2010

Destino das pilhas e baterias após o uso




As pilhas e baterias contêm metais pesados como o cádmio, o mercúrio e o chumbo e quando dispensados no lixo comum acabam indo para os aterros contaminando o solo, reservatórios de água podendo chegar às plantações. Esses componentes químicos causam diversas doenças, inclusive o câncer.


Para reciclar pilhas e baterias é necessário fazer um reprocessamento, ou seja, após o uso são transformadas novamente em matéria-prima. Esse reprocessamento é bastante tóxico. O material é triturado, misturado com ácidos, prensado e torrado. Depois de torrado, este material vira um granulado que ainda é moído resultando em um pó escuro que vira matéria prima para as indústrias de coloríficos.


No Brasil a única empresa licenciada e certificada para a reciclagem total desses materiais é a Suzakin Indústrias Químicas Ltda. Fátima Santos, especialista em Engenharia Ambiental e Gerente Técnica Comercial da Suzakim explica que tudo é reaproveitado, inclusive o lodo das estações de tratamento. “O plástico volta a ser novas peças plásticas, o aço é fundido e volta a ser linguote de aço, o restante será transformado em sais e óxidos metálicos que é a matéria prima para fabricação de corantes para pisos cerâmicos, tintas, vidros e refratários”, explica Fátima.


Infelizmente, nessa empresa a reciclagem de pilhas e baterias acontece apenas uma vez ao mês, pois o volume de material recebido é cinco vezes menor do que a capacidade de reprocessamento da empresa, que é de 150 toneladas.


Fonte: http://miramundo.wordpress.com/2008/07/20/reciclagem-qual-o-destino-das-pilhas-e-baterias/


Postado por Vitória, sábado, às 14:30.

2 comentários:

Janaína Menegaz disse...

Bom dia, gostaria de saber quem foi que a autorizou a publicar esta matéria no seu blog, já que não consta a autoria da mesma... Da forma como foi publicada, está caracterizada como Plágio! Gostaria que você a retirasse do ar, por gentileza. Grata. A Autora, Janaína Menegaz.

Anônimo disse...

HAHA SE FODEU

Postar um comentário